terça-feira, 15 de dezembro de 2009

Uma Prova de Amor

Quando eu estava estudando sobre um dos capítulos do manual "Ensinamentos dos Presidentes da Igreja: Joseph Smith", fiquei muito tocado com respeito ao capítulo que fala sobre caridade. Lá por muitas vezes fala de muitos pontos, mas entre elas algo que realmente poucos fazem. Muitos que fazem a caridade, que ajuda as outras pessoas, são propenssas a enxergar os erros dela e ver o porque que ela está passando por estes problemas. O Profeta Joeph Smith disse:

"Não sejam limitados em sua visão no tocante às
virtudes de seu próximo, mas tomem cuidado com o orgulho e
sejam moderados na estimativa de suas próprias virtudes e não
se considerem mais justos dos que os outros; vocês precisam
alargar a alma uns para com os outros, se quiserem fazer como
Jesus fez e conduzir seus semelhantes para o seio de Abraão. Ele
disse que havia manifestado longanimidade, tolerância e paciên-
cia para com a Igreja e também para com seus inimigos; e preci-
samos suportar as falhas uns dos outros, como um pai tolerante
suporta as fraquezas de seus filhos.

(...) À medida que crescerem em inocência e virtude, à medida

que desenvolverem suas boas qualidades, abram o coração para
envolver as pessoas — vocês precisam ter longanimidade e
suportar as falhas e erros da humanidade. Quão preciosa é a alma
dos homens! (...)

(...) Não invejem as roupas finas e a efêmera pompa dos peca-
dores, porque eles estão em situação miserável; mas o quanto
puderem, tenham misericórdia deles, porque em breve Deus os
destruirá, caso não se arrependam e voltem para Ele.

Os homens sábios devem ter entendimento suficiente para
conquistar os homens por meio da bondade. ‘A resposta branda
desvia o furor’, disse o sábio [Provérbios 15:1]; e os santos dos
últimos dias terão grande mérito se demostrarem o amor de
Deus, tratando agora com bondade os que num momento irre-
fletido tiverem agido mal; porque Jesus verdadeiramente disse:
Orai pelos vossos inimigos [ver Mateus 5:44].

Não me atenho às suas faltas, e vocês não devem ater-se às
minhas. A caridade, que é o amor, cobre uma multidão de peca-
dos [ver I Pedro 4:8] e freqüentemente desculpo todas as suas
faltas; mas o melhor mesmo é não ter falta alguma. Devemos cul-
tivar um espírito manso, tranqüilo e pacífico."

Este é uma de muitas falhas que temos, de ficarmos atentos as falhas de nosso proximo e esquecermos de ver o nosso dever como filhos de Deus. O que realmente estamos fazendo? Será que estamos sendo um verdadeiro cristão? Falo isso a todas as pessoas independentemente de religião. O que mais me entriga é que muitos que dizem ser um seguidor de Jesus, ao ver uma pessoa passando fomé, passa de largo igual aos dois homens que passou de largo na parabola do samaritano. Ninguem percebeu que o Senhor fará a mesma coisa com cada um que negar até um copo com agua ao necessitado?

Outro fato marcante que mostra a caridade, o puro amor, é na parábola do Filho Pródigo, em que o filho mais novo volta para casa após gastar todo o seu dinheiro sem sabedoria e decidiu voltar para casa de sue pai, arrependido de coração. Abaixo está uns versos que retrata o coração daquele jovem:

"O mundo me deu flores quando lá cheguei
Todos os prazeres lá eu encontrei
Não pude ver os laços e quantos embaraços me esperavam
E me entreguei
Um dia eu acordei sem paz no coração
Jogava a propria sorte e a solidão
Lembrando do meu pai e a dor no seu olhar quando eu parti

Eu resolvi voltar e ao seus pés me humilhar dizendo
Senhor, não mereço teu perdão
Como o teu servo mais humilde quero ser
Teu amor só agora percebi que é a riqueza de que todas mais preciso ter
Com ternura me abraçou os meus erros esqueceu
E em festa meu regresso anunciou

Quem no mundo pode dar sem recompença esperar
Uma tão marcante prova de amor

Senhor, não mereço teu perdão
Como teu servo mais humilde quero ser
Teu amor só agora percebi que a roqueza que de todas mais preciso ter
Com ternura me abralou, os meus erros esqueceu
E em festa meu regresso anunciou

Quem no mundo pode dar sem recompensa esperar
Uma tão marcante prova de amor"

Bom, não tenho dúvidas que este é o amor que o nosso Senhor quer ter, e a nossa obrigação buscar este amor. Eu presto meu testemunho que estas coisas são verdadeiras e que é da nossa parte entesourar em nosso coração.

Com amor Marcos Foganholi

Nenhum comentário:

Postar um comentário